O petróleo é nosso?

2c642408b0bfd00609818bb684340385

Getúlio Vargas sempre foi a foto que todo socialista brasileiro tem guardada na gaveta do criado-mudo. De democrata e “pai dos pobres”, tornou-se um político populista e chegou ao posto máximo de “Ditador do Brasil”. Mais que flertou com o Nazismo de Hitler, apoiou-o quase que abertamente até que a faca dos Yankes grudar-lhe no pescoço e o baixinho sacripanta recuou de seu acordo com o Fuhrer e apoiou os aliados, a contragosto. Não poderia ter tido outro fim covarde senão o suicídio. Hoje é nome de algumas ruas, por falta de um nome local melhor e de uma instituição encastelada de semi-deuses inúteis com acesso exclusivo apenas para burgueses monárquicos,

Mas voltando ao petróleo, Getúlio fez a panaceia de criar a tal Petrobrás em 1953 com a responsabilidade fatídica de ter o monopólio da exploração, refino e distribuição. Claro que isso nas mãos de políticos do Brasil fê-la tornar-se um monstrengo repleto de interesses, dentre destaques, o sindicalismo corporativo, a corrupção estatal, a má gestão empresarial e o desvio escancarado dos ideais republicanos.

E usando seu poderio, abusando do monopólio e do poder de sedução dos recursos de que dispunha de forma abundante, a Petrobrás desenvolveu um lobby quase indestrutível para o atraso estratégico do país na área de energia e de transporte. Tudo o que não significasse gasolina, diesel, asfalto, e mais tarde álcool, era simplesmente banido do debate estatal em todas as esferas estatais.

E é plausível sim responsabilizar a empresa pela falta de interesse no país por uma política de diversificação de modais de transporte nos vários governos, inclusive os militares. E foi quando o poder civil da “Nova República” sentiu a necessidade de crescimento que o país conheceu seu enorme gargalo estrutural, e a modalidade de movimentação mais adequada às nossas características continentais se fez ausente: uma malha ferroviária ampla e moderna, que nos traria um acelerado vigor desenvolvimentista, econômico e social.

Foi então que o governo FHC tirou-nos uma parte do atraso e abriu uma parte do monopólio que pertencia à petroleira nacional. E como sempre os que representam o atraso social e do desenvolvimento, os corporativistas socialistas, gritaram em alto e bom som: “O petróleo é nosso!”. Mentira. O petróleo sempre foi da Petrobrás, que fez o que bem quis dessa possessão estratégica de energia, tendo o controle de toda a gama de produtos derivados do chamado ouro negro. Comprávamos dela, e somente dela, a gasolina, o diesel, lubrificantes, álcool, gás, nafta, asfalto e outros derivados menos populares.

O que o Brasil ganhou com isso? Nada, ou melhor, inflação, desabastecimento, corrupção, atraso, chantagem estatal, mentiras goela abaixo de todos nós. Quando Lula e o PT “tomaram posse” do governo federal e da Petrobrás com seu sindicato pelego e criminoso, aí é que nos danamos de vez. A empresa, em conluio com seus dirigentes, indicados por partidos salafrários e corruptos, iniciou um processo de antropofagia política e canibalismo empresarial deliberado. E seus funcionários foram parte integrante do desmonte criminoso daquela que era a maior empresa do Brasil e uma das maiores do mundo. Todos eles ganharam, não só os que foram denunciados ou estão presos. E a dona do petróleo brasileiro chegou ao quase esgotamento de sua capacidade de sobrevivência empresarial.

Mesmo disponibilizando parte de “seus” ativos, era preciso recapitalizar a empresa para que sua sobrevivência não criasse ainda mais transtornos ao país. E aí entra novamente quem? Nós, os brasileiros. Uma nova política que a “empresa” implantou há pouco fez de nós reféns do mercado volátil internacional de petróleo, e que segue interesses além dos comerciais. A receita era “subiu-petróleo-petrobrás-aumenta-gasolina-diesel-gás-álcool”. Resultado foi  vermos os preços dos combustíveis saltarem de maneira astronômica e pior, na contramão da economia do país, que se arrasta há anos entre tombos e cara no chão. Até chegarmos ao desplante de um litro de gasolina ou diesel custar o preço de uns cinco frangos no início do plano real.

Bem, e depois da copa socialista do PT que nos enfiou goela abaixo os 7X1 da Alemanha, eis que bate à nossa porta a oportunidade de revanche. E logo agora, quando todos iam comprar bandeiras, vuvuzelas, chapéus, fogos, e todas as traquitanas precisas para uma salutar comemoração, o Brasil se vê diante de uma greve de caminhoneiros, dispostos a parar o país e não nos deixar comprar sequer o valioso combustível da Petrobrás. Os vilões da crise reivindicam menos aumentos de um de seus insumos básicos, o óleo diesel. Mas claro que isso esbarra na readequação da empresa para futuros investimentos e disponibilidade para que próximos políticos se assenhorem de suas diretorias e recursos.

E olha o governo federal tendo que enfiar a mão em nosso bolso novamente. E assim será feito. E o que nós brasileiros ganhamos com isso? Nada, patavina nenhuma. A Petrobrás continuará a ser dona dos nossos combustíveis, e monopolista como sempre. Até que algum presidente da república tenha coragem suficiente e permita que essa riqueza, que pertence ao povo brasileiro, seja disponibilizada de forma empresarial e democrática. Chega de Petrobrás ser dona de parte da riqueza do Brasil. Chega de governos que nos enganam e de categorias que usam suas posições estratégicas para fazer do país seu sindicato criminoso e sem compromisso com o Brasil e os brasileiros.

O PETRÓLEO É NOSSO, SIM!

Anúncios

Inflação não é tomate…

Os guris e gurias de hoje não tem a menor ideia do que significa a palavra inflação. Palavra que está de volta ao noticiário de maneira preocupante e séria. A dita inflação possui efeitos devastadores na economia e na vida das pessoas. Se você pensa que é só o preço do supermercado que lhe afeta está precisando saber um pouco mais sobre o mal que quase afundou o país na década de 80, e tornou celebre a figura grotesca do “fiscal do sarney”. Tudo isso foi resultado do desarranjo econômico da época, o mesmo que estamos vivendo agora, só que com um pouco menos de gravidade. Dois tipos de inflação podem consumir nosso poder de compra. A inercial, que é o simples aumento de preços, pura especulação, e a conjuntural, essa sim é grave. E ela acontece por falta de confiança nas ações do governo e nas instituições públicas de controle, como o BC. O nosso governo é um “sugador” de dinheiro do mercado para pagar juros da dívida pública, que explodiu nos últimos 10 anos, por isso seus gastos sempre aumentam de forma exponencial. Quando a economia está em baixa, ou seja, produzimos e vendemos pouco, o governo arrecada menos, portanto precisa se socorrer mais do mercado. Esse desajuste de contas, que tem a ver com excesso de gastos, mesmo com uma carga tributária excessiva, gera incertezas, o que causa a expectativa e a prática inflacionária. É só isso. Sabe o que pode acontecer? Esse seu salário que compra 5 pares de tênis por mês vai passar a comprar 4, 3, 2, 1…até seu poder de compra virar poeira. Esse é um mal da inflação. Mas o maior deles é a falta de credibilidade do governo que pode nos colocar novamente numa espiral inflacionária. É só o que está faltando para celebrarmos a vitória da incompetência do governo federal. Boa sorte, meninos e meninas.

299145_579360078750263_1395221677_n

p.s.: o bicho voltou pela incompetência política e administrativa do PT…

Brasil, Vaca Louca e outros bichos

Com seu new look de mexicano de filme do zorro dos anos 70, Lulla está se borrando de medo das revelações de Valério, o banqueiro da corrupção. O ali baba do PT sabe que desta vez pode ser o fim de um mito mentiroso que rondou nosso país por anos sem fim. E isso, ou seja, o desnudamento de sua falácia mentirosa, seu eterno não saber, pode ser seu pior pesadelo. Afinal, sabia e ficou calado. Mentiu, engendrou, enganou, usou de meios institucionais para acobertar roubo de dinheiro público em favor de si de outros de sua quadrilha. A coisa foi tão séria que não dá para segurar os efeitos dessa rapinagem oficial presidencial. Se não o fosse, nenhum procurador-geral ou juiz do STF teria peito de condená-los como foi feito. O bando extrapolou, fez gato e sapato da boa índole das instituições públicas. A corja de pobretões locupletou-se largamente do que é nosso, transferindo muito disso para seu patrimônio pessoal. Jogam, como último refúgio, na consciência subserviente do brasileiro, que hoje é mais rasteira que nos tempos do Império. Nós temos essa vocação para ser lacaios, seja de quem for. E se estiver no poder melhor será para nossas consciências. É uma pena, poderíamos desenvolver o melhor da consciência humana no globo, temos potencial para isso. Mas ainda acreditamos em mitos. Enquanto isso a economia brasileira está sendo bombardeada de todos os lados. De ministro à produtos de exportação. Como nossa carne, agora temperada com vírus de vaca louca, de uma louca qualquer lá do paraná, que resolveu se drogar. Logo, o capital especulativo de bancos e investidores mal caráter estarão dando mais cartas à mesa. Dilma é fraca politicamente. Fala grosso, bate na mesa, mas com um belo grito nos cornos fica quietinha. Não possui vocação para mito. E para finalizar, esclareço aos senhores deputados, que hoje somam a pior horda de salafrários que este país possui, que mandato de deputado pertence ao povo, não à câmara. Por isso, o STF pode sim caçar vagabundos corruptos que mostraram suas negras(ops.) índoles no caso do Mensalão, e mandá-los para a cadeia. Corporativismo têm limites senhor Maia. O papel de quem perde é sair com seu rabo devidamente enfiado entre as pernas. Agora, se quiser arreliar o jogo institucionalmente, tudo bem.

384322_386026098141249_1463035773_n

p.s.: acho que alguns profissionais estão confundindo um pouco as coisas. Jornalistas NÃO têm direito a opinião, não. Se quer ter opinião então não é jornalista, é assessor ou qualquer outra nomenclatura que se queira usar.

Dá o troco aí, meu !

É só a gente andar por essa cidade de São Paulo para perceber o quanto estamos distantes de ser um país preparado para nossas responsabilidades. A condição de cidadão é algo desconhecido para certas pessoas. É só ver no seu trabalho, no seu prédio, num restaurante e até mesmo dentro de um ônibus. Senão vejamos, aquele ser que ocupa um lugar de destaque no meio do coletivo, sentado em sua nobre cadeira com uma cortininha por detrás, chamado de cobrador…enfim, aquele sujeito que possui o ofício de ver pessoas passando com seus bilhetes eletrônicos, nas catracas eletrônicas, e que fica com cara de “quadro de sala que retrata uma paisagem caipira”. Em vários anos de uso de transporte público, tanto para trabalho como passeio, nunca vi senão somente um, eu disse somente um, desses referidos expoentes da amabilidade serem solícitos com quem pede apenas uma informação. E claro, quem pede informação não sabe do que está perguntando, óbvio. Então, esse ser iluminado por essência, sequer olha para seu inquiridor e vomita de cabeça baixa ou olhando para o infinito descaso, falando bem baixinho: no szdruvis ponto, isso mesmo numa língua que requer um decodificador. Mas hoje foi um dia em que não me contive. Eram três pessoas que queriam pegar o metrô linha azul. E o meu Mercedes estava por passar, no próximo ponto, pela entrada da Estação São Bento. Essas pessoas não conseguiram ouvir o que o dito-cujo disse, erradamente, inclusive, mandando os três para a Estação da Luz. Tive um acesso de fúria e expliquei em voz alta o itinerário correto aos perguntadores, que sorrindo agradeceram. Pensem meus queridos leitores, leitoras, GLBT’s  e, especialmente minha querida leitora Ana Cristina. De que forma estaremos atendendo as pessoas que virão nos visitar na copa do mundo e nas olimpíadas? Nos países mais civilizados as pessoas costumam andar de ônibus e metrô como forma de locomoverem-se com mais eficiência. Mas e quando estiverem aqui e tiverem, por exemplo, de ir para o periférico Itaquerão? Vão perguntar para tipos como esse com que me deparei hoje? Que pena. A falta de educação que vem sendo perpetuada por décadas desenvolveu personagens bizarros assim. Gente rústica, sem elam social, parecendo bichos do mato, rosnando. E segure no ferro, senão o chão é o destino. Próxima parada…sabe lá Deus.

150_306-andre350x524

p.s.: desculpem me os improváveis cobradores que porventura leiam este singelo texto, mas acho que seria bom vocês voltarem para seu habitat natural…logo.

Agora vai…

Apesar de ter feito o 17º tempo nos treinos livres de hoje, Felipe Massa está otimista. Diz que agora vai porque seu carro está igual ao do Alonso. Bem, então agora é só ir atrás do talento…sacanagem. Tá bom. Espero que Massa se recupere e dê uma pernáquia para esses italianos macarroneros. Força Felipe !

p.s.: mas apenas para deixar declarado meu estado de guerra contra o prefeito Kassab e seu corredor Rebouças/Consolação. Obra inútil, sem propósito, sem necessidade porque o asfalto estava perfeito. Mutretagem da brava. Dinheiro e tentativa de mostrar um serviço que não foi feito em quatro anos…ou pelo menos nas férias escolares…

Zica do Rubinho

Tudo bem, não dá para negar que a Ferrari está uma josta. Mas a zica do Rubinho é de grudar em parede de vidro e não sair mais. Aquela mola que saiu do carro do pé frio na cabeça do Massa foi toda a zica que ele deixou para trás. Infelizmente Massa absorveu tudo.  Não tem jeito. Além é claro da falta de fôlego para lutar por vitórias. Alonso chegou, mostrou o tarugo e tomou conta da bodega. Coadjuvar. De protagonista a coadjuvante, agora esse é o papel do Brasil no automobilismo mundial. Já tivemos Fitipaldi, Piquet, Senna. Não há ninguém com capacidade e talento para seguir em frente, só promessas. Massa deve perder o emprego no fim do ano, ou antes. A Ferrari já tem substituto para ele e a partir de maio/junho já iremos saber. Talvez se Bruno Senna se desvencilhar do mesmo estigma, talvez possamos ter alguma alegria com ele. Nada excepcional, mas poderá ser divertido. Não se enganem porque nem Vettel ou RBR estão mortos. A McLaren está redondinha, Button é bom, talvez o melhor segundo piloto que há na fórmula 1. Vai deixar Hamilton de molinhas em pé. De resto, essa batida de Massa e Senna foi hilária, ridícula e triste. Ver Massa, que deveria estar disputando o primeiro entre os quatro primeiros, disputou entre os quatro últimos. Alonso mostrou porque é o melhor e porque tantos o odeiam. Por que ele é bom. Malásia é no próximo fim de semana. Mas uma madrugada de salgadinhos e guaraná. E risos, muitos risos.

p.s.: será que Massa e Bruno tem seguro bom ???

 

Roubrasilogismo

O prefeito gilberto kassab continua dando um show de incompetência administrativa na condução da cidade de Sâo Paulo. Depois de pender para o PT, arrepender-se e voltar ao ninho tucano, kassab precisa gastar os 10 bilhões de reais que possui em caixa para mostrar sua competência pessoal. Mesmo deixando de gastar com projetos de importância fundamental para a cidade, o menino maluqinho do PSD está fazendo uma revolução em algumas áreas da cidade. Por exemplo, está destruindo/reformando o corredor de ônibus da Rebouças/Consolação sem a menor necessidade. Está arrancando asfalto bom para colocar outro no lugar, ou concreto. O transtorno ao trânsito é imenso. Mudou rota de ônibus. Tem ônibus articulado passando dentro de ruas sem a menor condição de manobrabilidade. É a força da corrupção movimentando a cidade. Enquanto isso os ônibus continuam velhos, sujos, conduzidos por motoristas que deveriam estar guiando jegues ao invés de veículos com passageiros, e pior, todos absurdamente quentes, sem ar condicionado. E a passagem custa três reais por cabeça. O descaso da prefeitura com os ônibus é tamanho que ainda há ônibus com motor na frente rodando pela cidade. Isso é absurdo, arcaico, prejudicial para todos que o utilizam. Até quando nós vamos aguentar esse absurdo. O senhor prefeito faz seus acordos políticos, financeiros e pessoais e deixa que a cidade torne-se um tecido carcomido. Enquanto estivermos votando em pessoas desse nível vamos viver tudo de novo, sempre.

 

p.s.: o ônibus deveria ser uma alternativa viável para quem quer deixar o carro em casa, mas ao contrário, é uma forma antiquada e ineficiente de transporte; mais modernos seriam os bons e velhos bondes como esse…

Fórmula Lindy

A Fórmula 1 quem e perdoe, mas a Fórmula Indy está muito mais bonita. Ao menos no quesito mulheres. Danica e Bia são algumas das razões para ver a prova do começo ao fim. Claro que agora tem o Rubinho, que convenhamos, é feio prá caramba. Não sei como sua napa consegue entrar no capacete. De qualquer forma é mais um motivo para prestigiar essa categoria que a Band trouxe para São Paulo. Vale também prestigiar Castroneves e Kanaan. Uma dica é ver a corrida de perto. Para quem gosta de automobilismo cheiro de gasolina é Channel nº5…

Bradesco

Mais uma vez o banco de maior incompetência do país, assim como o que possue o maior número de funcionários apenas com nível secundário, é o campeão de reclamações do PROCON. Nenhuma novidade. Teve um lucro enorme às custas dos incautos, do seu péssimo atendimento e do descaso com seus clientes. Banco de quem andava sem meias, só podia ser isso mesmo. Parabéns Bradesco passou a Telefônica em reclamações, isso sim é um feito e tanto !!!

p.s.: pense nisso antes de abrir uma conta no Bradesco….