Arquivo para democracia

A farra vai acabar…

Posted in Atitude, Atualidades, Comentário, Eleições, Lava-Jato, Mídia, Notícias, Opinião, Política, Sacanagem with tags , , on 25/06/2017 by Carlos Baltazar

large_20130619180449-20130619180449-fora-corruptos

Os políticos, e por consequência os partidos, ainda não entenderam que o recado dado em 2013 valia muito mais do que apenas 20 centavos. A política vem mudando desde então. Esses fatos que vimos vivendo desde então são uma forma clara das mudanças que virão. O formato de representação partidária irá mudar porque se esgotou, e os partidos ainda não se aperceberam disso. A democracia representativa, nos moldes estabelecidos não representa mais nada. Figuras que ainda buscam manter-se na mídia, como Lulla e FHC são histórias antigas, sem qualquer representação de futuro para o Brasil.

Vemos partidos fazerem de conta que não é com eles. Mostram-se como se nada do que está aí fosse de sua, ou de nossa conta. Cercam-se de compadrios pessoais e institucionais, defendem o mesmo de sempre, praticam o igual como se isso fosse alguma novidade ou uma razão que os destaque junto à população.

Não há novidade que se faça mostrar como algo que realmente empolgue sequer seus militantes ou qualquer um de seus movimentos. Não é à toa que muitos perdem impiedosamente seus filiados, que querem uma verdade representativa e institucional. Reúnem-se em eventos e declamam felizes seus irrisórios feitos de vazio democrático e ouvem palmas sem contexto e fé.

Não enxergamos um propósito em suas atuações, senão a de sempre: poder, corrupção e perpetuidade. Mas nós queremos mais, sem discursos bajulados e repletos do que já experimentamos há muito e que nada produziu. E suas novas lideranças tentam se impor no mesmo espectro que não atende o que entendemos ser a representação viva da sociedade nos foros públicos.

Todos as convenções, simpósios, workshops, reuniões, servem para apenas tentar impor o mesmo do mesmo, continuar distribuindo migalhas aos mesmos. Essas estratégias implausíveis de um politiques castiço quer apenas desembocar no roda-a-roda em que os mesmos terão o que deveria ser tido por todos.

Preparem-se senhores políticos, a população logo os terá como espantalhos de um tempo que passou e que vossas excelências ainda não se deram conta que acabou. Acabou a farra. O Brasil irá lançá-los no ostracismo da mentira com que vimos sendo enganados todos esses anos, sem dó.

185503210c0f5b19db32be7f1c3a5e20

Anúncios

Partidos ou inteiro ?

Posted in Atitude, Atualidades, Comentário, Eleições, Mídia, Notícias, Opinião, Política, Sacanagem with tags , , , , , , , , , , , on 21/06/2017 by Carlos Baltazar

992987_490081614394820_1847870032_n

Trinta e cinco partidos legalizados e mais trinta e quatro em gestação. Essa a aritmética partidária do Brasil atual. Mas afinal o que fazem todas essas instituições se vislumbramos uma política destrutiva e apodrecida em meio à uma sociedade perplexa e inquieta. O que fazem os partidos e qual a sua real função no universo político nacional? Vou tentar descrever o que seria o paraíso diante do inferno que hoje nos faz purgar a maior crise político-institucional que o Brasil já tinha vivido.

Afinal para que servem os partidos políticos, senão canais organizados para que a sociedade possa participar ativamente do processo eleitoral e de gestão do país? Pois bem, será que isso está sendo feito? Não creio. O trágico hiato político que o período militar obrigou o país nos causa ressentimentos até hoje. Mas talvez o que mais nos faz sofrer em consequência é o descostume da participação política e, por consequência, do controle social sobre os partidos.

Os partidos políticos tornaram-se meros cartórios de interesses corporativos e institucionais, quando não da corrupção e do crime institucionalizados. Não dá para ver um partido como uma instituição puramente representativa de parcela da sociedade, com características de ideais e ideologia, dessa mesma. Mas como grupos meramente organizados para buscar o poder ideológico e práticas nem sempre republicanas de exercício desse mesmo poder.

A mera ligação desses partidos com alguma instituição já lhes tira a característica básica de existir e de criar fórmulas mais eficazes de representatividade social e de gestão voltada para o todo. Mas a prática não condiz com isso. Ao contrário, muitos partidos são apenas cartórios do poder e balcão de soluções facilitadas para as várias dificuldades encontradas na burocracia paralela do poder. Sem falar naqueles que somente servem como “agência de representação” de outras instituições que nada tem a ver com a política. Esses desvios de finalidade geram, incontestavelmente, desvios de caráter que desembocam na corrupção arraigada nos costumes da nossa pátria mãe.

Senão vejamos. Os partidos recebem o tal Fundo Partidário, que é na verdade dinheiro à vontade para poderem manter-se vivos e ampliar seu poder de existir. Mas é só isso? Não. Cada partido possui uma “fundação” que deveria observar regras de ação e incentivo à participação e formação política da sociedade. Mas não é isso que acontece. Os partidos ditos de esquerda comumente usam suas fundações para aprofundar a “ideologização” cega de seus membros, ou como querem alguns, a tal “lavagem cerebral”. Por outro lado, outros gastam seus(nossos) recursos para fazer de conta que a sociedade realmente está sendo formada em seus direitos e participação política e assim aperfeiçoarmos o cambaleante sistema de representação democrática.

As grandes manifestações de 2013 mostraram que a população está pouco se lixando para os partidos políticos. Bandeiras de algumas agremiações que se atreveram a estra lá, foram sumariamente queimadas. E até hoje os partidos não sabem afinal o que era tudo aquilo que se viu nas ruas. Tornaram-se, desde então, ainda mais obsoletos e dispensáveis ao processo de representação política. Verdadeiros zumbis da democracia nacional.

E se acaso não houver uma renovação partidária drástica, em 2018 muitos partidos nem saberão o que dizer aos eleitores. Arrisco dizer que fatalmente usarão seus melhores estrategistas para falar de…corrupção. Serão varridos para ainda mais longe da sociedade que os abriga. Aliás, a maioria nem sabe o que dizer hoje, quanto mais em 2018. Calam-se diante das denúncias da mais absurda corrupção já praticada na história da humanidade.

Triste, mas os partidos políticos são responsáveis por todo esse aparato de corrupção encastelado no poder público. E pelos meliantes que se escondem em suas entranhas para roubar dos que esperam um novo líder a cada dia. Nossa frágil democracia padece por isso e por ter nesses partidos seus últimos fios da mais ingênua esperança.

“Sabe com quem está falando?”

Posted in Comentário, Lava-Jato, Mídia, Notícias, Opinião, Política, Sacanagem with tags , , , , , , on 21/05/2017 by Carlos Baltazar

art4

Essa máxima é para pensar em 2017. O Brasil sempre foi um país de exceções (e continua sendo). Talvez por isso nunca chegamos a ser uma República para valer. Muito menos uma Nação, onde todos são brasileiros de verdade. Basta ver o nível de corrupção que subverte as instituições públicas e partidárias.

Essa frase, formatada já nos tempos do Brasil Colônia, era ouvida em alto e bom som, para que os interlocutores e desavisados à volta, pudessem ouvi-la de maneira clara e incisiva, sem margem de erro.

Após um longo período monárquico, bem mais de acordo com nossas raízes sociais, diga-se, o militar Deodoro da Fonseca, e outros de igual padrão, aplicou um belo golpe na estrutura de poder e apossou-se do Brasil. Disse ele que uma tal República nos traria a aguardada igualdade, o que na verdade sempre fora a esperança de todos. Mas ainda hoje a esperamos. Os tais ideais republicanos continuam a estar nas mãos dos que ainda pronunciam aquela antiga frase da época do Brasil Colônia.

E depois de muitos golpes de estado e pouca democracia, parece que ficamos anestesiados de nossa ânsia pela República e distantes, cada vez mais, de um Estado Democrático de Direito. Com todas aquelas circunstâncias de igualdade e demais que tais. Parece que vivemos ainda como no auge da cidade-estado da Roma Antiga. Os que mandam, os que aspiram mandar, mas nunca o farão, e os que nunca irão mandar nem sequer em si mesmos.

O Brasil precisa de uma urgente renovação de seus líderes. E essa afirmação se mostra real se, por um acaso, só por uma hipótese, tirássemos presidente e seus ministros meia boca, todos os deputados e senadores. Quem colocaríamos lá? O país do “sabe com quem está falando” caiu em sua própria armadilha. Buscou e entronou líderes de lata, que vieram sei lá de onde. E pagamos um preço muito alto por isso hoje. A Elite, bem, a elite continua como na Roma Antiga, com suas festas grandiosas e seus bacanais. E nós, vagando pelas ruas, ao relento, com a esperança que, algum dia, alguém nos fale: “bem sei com quem estou falando…”.

Feliz 2017…

Democracia Fake

Posted in Atitude, Atualidades, Eleições, Lava-Jato, Notícias, Opinião, Polícia, Política, Sacanagem with tags , , , , , , , , , , on 20/05/2017 by Carlos Baltazar

O Brasil carece de partidos políticos. Ouso dizer isso quando mais de 35 partidos agem, e creio ser esse o termo correto, no sistema político brasileiro, como cartórios de interesses e instituições legais e não legais. O vilipêndio é tanto que chega ao ponto de organizações criminosas usarem essas estruturas para tutelar o Estado e até mesmo a Sociedade. E para saber a fisionomia e interesse da cada um deles é só ir ao site do TSE e ver as respectivas executivas. Tanto nacional, quanto estaduais. Lá estampam-se suas intenções. Serão nomes conhecidos e desconhecidos, mas todos cartoriais. Substrato do que nos foi legado por FHC, Lulla e Dilma nesses anos inglórios. E agora Temer, surfando num sistema de coalizão partidária que para manter-se no poder faz do Congresso uma feira de negócios, legais e não legais; e estes, os mais atraentes. Não é segredo histórico que o grande empresariado no Brasil viveu sempre às custas dos governos, desde o Império. Mas depois do advento do PT no poder, os governos resolveram literalmente viver às custas dos empresários, que continuam vivendo às custas dos governos, ou de nós, para ser mais exato. Eis o círculo diabólico e vicioso da corrupção. Não é à toa que os mais santos parlamentares e os mais instituídos partidos, votaram para desfigurar o projeto das dez medidas contra a corrupção, patrocinado pelo MPF e pela sociedade. Não é à toa que mesmo os partidos ligados às diversas instituições religiosas, por consequência menos expostos ao pecado, votaram contra a vontade da maioria da população. Isso mostra que no Brasil não existem partidos, mas grupos políticos. Por isso nossa sofridão democrática e nossa luta contra um estado de coisas, parece não ter fim ou medida. Reforma política no Brasil é patrocinada pelos que devem ficar continuamente no poder. E os partidos são os grandes fiadores desse estado de coisas, porque são seus arapongas que escolhem, quase que divinamente, quem será ou não candidato nas vindouras eleições. Eles decidem em quem você vai ou não vai votar. Isso não é poder demais? Não, e eu nem vou falar em fundo partidário, instituído nos moldes da fatídica coalizão. Ou seja, mais dinheiro para um lugar e para pessoas que nem você ou eu conhecemos. Já há movimentos, tanto no MPF quanto na população, para acabar com essa farra de poder absoluto dos partidos. Governos e partidos são para servir a sociedade e seus grupos sociais na plenitude, não institucionalmente. Temos que tomar os partidos para a sociedade. Afinal, quem são seus presidentes? Que interesses possuem? A nossa democracia não é verdadeira, é um fake. Está em dúvida? Confirme como votou seu deputado e seu partido nessa questão da corrupção. Partidos políticos servem, ou deveriam servir, como alento e esperança para à uma sociedade que clama há séculos por decência. Ao contrário, continuam a ser um amontoado de grupos de interesse particular, com retóricas gastas e fórmulas maculadas pela mentira. Infelizmente essa é uma esperança que, nos moldes atuais, não irá virar realidade. Não com esses partidos, não com essa nossa mobilização social.

10322441_1375820789373883_4541804641025785715_n

p.s.: há pouco, o presidente do Senado, Renan Calheiros, recusou-se a cumprir a ordem de afastamento do STF. Colocou em xeque uma ordem judicial da Suprema Corte. O que há por trás disso? Uma crise institucional, ou um golpe dentro do golpe? Enquanto os partidos forem comandados por pessoas que se interessam pela balbúrdia institucional e pelo interesse individual, nunca seremos uma democracia de verdade.

Ética

Posted in Atitude, Atualidades, Comentário, Denúncia, Eleições, Notícias, Opinião, Polícia, Política, Sacanagem with tags , , , , on 14/06/2012 by Carlos Baltazar

Uma das palavras mais cobiçadas por políticos de todas as matizes sempre foi a Ética. Muitos deles fazem questão de dizer-se mais que honestos, sobretudo éticos. Na balburdia tupiniquim em que foi transformado nosso país, ninguém, repito, ninguém mais pode afirmar-se ético. Depois que alianças espúrias foram feitas, que dinheiros de corrupção foram nomeados como “recursos não contabilizados”, vemos que a escola maldita da corrupção tende a fazer novos soldados e generais. Esta escancarada a falta de ética na eleição em São Paulo. O que é uma pena. Baluartes da honestidade e da ética, históricos homens públicos, vergam-se como folhas ao vento sob a orientação nefasta da ordem criminosa da corrupção. Perseguem, ameaçam, oprimem, jogam sujo, no jogo limpo da democracia. É preciso avaliar se a biografia desses vale mesmo a pena, ou é só um título de nobreza comprado em feiras de artesanato n’alguma cidadezinha do interior europeu. A decência precisa ser enxergada pelos que possuem valores éticos de verdade. Não dá para ter medo de ameaças dos que usurpam do público em favor do seu privado interesse. É preciso dar um basta à calhordas mentirosos que semeiam o medo nos corredores do poder, pois que armas todos possuímos e manejamos. Tenham ética e sejam honestos ao menos com sua consciência, se já não corromperam-na também.

p.s.: mais prá frente eu contarei novidades mais quentes da política…

Inimigo da Democracia

Posted in Atitude, Comentário, Mídia, Notícias, Opinião, Política with tags , , on 20/05/2011 by Carlos Baltazar

Esse senhor aí em cima é um dos maiores inimigos da democracia brasileira. É somente servil às cartilhas comunistas do século passado, por isso é arcaico, perigoso e pernicioso. Qualquer palavra que venha de sua boca, certo não trará benefício algum ao Brasil, porque não é brasileiro. Carrega em si rancor, ódio e um jeito meio discreto que não quer revelar. Revela Franklin, revela. Mau sinal Dilma falar com o mentor do plano de censura à imprensa e do guerrilheiro que ainda pensa em destruir as liberdades individuais de todos nós em favor de um projeto apodrecido de comunismo brasileiro e sul americano. Pena ele não ter colocado a cara na rua quando era clandestino, poderia ter levado uma bala de fuzil na testa. Só assim teríamos ficado livres de sua péssima influência.

Democracia ou Ditadura?

Posted in Atitude, Atualidades, Eleições, Notícias, Opinião, Política with tags , , , , on 01/10/2010 by Carlos Baltazar

Se o STF, instituição de maior importância no Judiciário brasileiro, tivesse que decidir entre a democracia e a ditadura corrupta do pt qual seria a decisão? Não sei. A turminha do pt ou a turminha do FHC é que teriam a razão? O Brasil entrou em um desvio histórico muito perigoso. Ao que parece tudo está dentro da normalidade instiucional e política, só parece. Existe uma batalha feroz pelo controle das mentes dos analfabetos brasileiros. Tudo é mentira, tudo é fantasia. O PT fez do Brasil um circo de horrores. A latrina das ilusões. Existe uma guerra ocorrendo sob os nossos pés sem que nós nos demos conta. As piores pessoas deste país estão juntas para um objetivo nefasto para todos nós. São políticos corruptos, religiosos picaretas, sindicalistas ladrões, juristas do perjúrio, jornalistas da mentira, estudantes do absurdo, pobres vagabundos, burgueses exploradores, todos abrigados no discurso mentiroso e safado do pt de lulla, dirceu, dilma e todos os quarenta e tantos milhares de ladrões. Nosso voto é mais do que eleger um presidente, ele significa um futuro digno e honesto, sem falsas intenções. E nunca, nunca na história deste país nós estivemos tão perto do precipício e da dor. A fantasia que estamos vivendo poderá ser nossa última aventura de excessão. Não tem volta. José Dirceu e Lulla já abriram o caminho das trevas em nossa sociedade. Hoje precisamos assinar manifestos pela Democracia, alguém já tinha visto isso? Então preparem-se porque o futuro nos espera cinzento. Dilma será o meio que os ladrões da liberdade e dos sonhos usarão para criminalizar nosso anseio por liberdade. Tudo o que nos acorrenta está com eles. Tudo o que pode nos ferir está com eles. Tudo o que irá nos escravizar está com eles. A vingança sangrenta está com eles.

p.s.: meus últimos posts se aproximam, vou entrar num período sabático, envergonhado, por ter acreditado que o Brasil desejava a redenção da honestidade e da ética. Não comentarei nenhuma ação do novo presidente, seja quem for. Vou liquidar este blog porque me envergonho do que os brasileiros estão fazendo com o Brasil. Por ingenuidade e má intensão. Acho que todos devem arcar com seus erros e pagar por sua contínua ignorância. Imbecíl deve pagar por sua imbecilidade.