Por que homens falam palavrão e mulheres bebem cerveja

Homens são daquela espécie que o mundo depende para seu equilíbrio natural. Homens são a força que ataca e defende, fazem a história e escrevem as páginas mais belas e desumanas que guardamos em bibliotecas físicas, virtuais e em nosso DNA. O papel do homem sempre foi o de guardião da espécie. Fundamos o mundo, conquistamos e desbravamos continentes, defendemos idéias e nações e a espécie. Fiquem tranquilos, isso não é um tratado sobre a masculinidade humana e suas facetas. Esse prólogo é para falar das mulheres, essas companheiras que sempre nos dão força e emprestam sua sensibilidade para um resultado melhor de nossas conquistas. Claro, toda regra possui exceção. Tem homens que não valem o que comem, e mulheres que se fossem um poste fariam melhor seu papel e deixariam de prejudicar tantos incautos. Venho insistindo nesse tema, mulheres, porque acho  importante toda a discussão sobre papéis quando tudo se está sendo questionado, inclusive o papel de cada um e seu comportamento na sociedade. As mulheres, ao que vejo, estão numa jornada tresloucada de sua existência, questionando todos os fatores que a levam a ser mulher. Não sei se essa ainda é a aquela questão das mulheres não possuirem pinto, de que tanto os psicólogos falam, ou simplesmente um esgarçar de costumes que vem como uma revolta ou uma busca insana de um prazer limitado. Tudo isso se reveste de uma total afasia de sentimento próprio e por outros. As mulheres trilham um descaminho perigoso e vão pagar um preço caro por isso. Aliás, já estão pagando. Leio no facebook uma paródia de que “no dia de finados não quero um defunto para chamar de meu, por isso no dia dos namorados não preciso de ninguém”. Essa empáfia de se bastar é um pecado pessoal que o sentimento revela em rotos bordões. As “celebridades” estão influenciando o comportamento de uma parcela descerebrada das mulheres. É comum vermos comportamentos duvidosos e formas contrastantes de mulheres que deveriam ser mais próximas de sua natureza. As mulheres estão se aproximando do ideal, só vai faltar coçar o saco. A igualdade de comportamento é nevrálgica para ambos. Homens precisam de mulheres e mulheres de homens. Tudo fora disso respinga em um comportamento que não nos premia em futuro. Isso não significa ser contra homossexuais de qualquer gênero. Eu falo de comportamento, gestão de sua própria vida, seriedade de caráter. Tudo é possível, menos revolucionar a espécie, sobe pena de sua própria extinção e importância. Todos têm encantos e quando os perdemos, perdemos também a razão de ser e existir.

 p.s.: essa onda de mulheres sós, não é por acaso, nem porque são maioria…

Anúncios

Mamãe eu quero mamar…

Engraçado ou não, hoje em dia a gente houve certos profissionais falando tantas asneiras que é difícil crer que eles tenham clientes suficientemente pouco imbecilizados que o sustentem. Hoje falar em atividade para crianças que não seja internet, educação sexual ou games é crime, aprender a trabalhar é contra os direitos humanos previsto no ECA. No mundo real, um dia desses, uma amiga me disse que havia chamado o porteiro para trocar uma lâmpada porque o marido dela não sabia. Não me contive e soltei: – acho que você seria mais feliz casada com o porteiro, porque um sujeito que não sabe nem trocar uma lâmpada não deve fazer nada como homem. Acho que estamos criando um bando de homens de merda (usando o mesmo termo presidencial). Não é possível mudarmos a natureza de pessoas sem que isso traga danos à personalidade. Um homem será sempre homem mesmo sendo homossexual, porque ser viado ou bicha é outra coisa, o mesmo vale para a mulher, lésbica é uma coisa, sapata é outra, é deformidade de personalidade. Tentar mudar na origem o que cada um é isso sim é crime. Até as músicas de infância estão mudando para não “criar uma personalidade agressiva”, exemplo: “atirei o pau no gato”, nem pensar, agora é “não atire o pau no gato”. Olha, não é uma cantiga que forma caráter ou personalidade animalesca em ninguém. Quem diz isso mente e é mal intencionado, quer no mínimo mostrar sapiência para incautos. Acho fantásticas todas as possibilidades de transformação que o mundo experimenta e a informática é uma delas. O que ela proporciona, e fui crítico severo de algumas de suas aplicações, é sensacional, muito daquilo que fazemos seria impossível sem um computador. Mas daí a transformar pessoas em seres inúteis para a vida é outra coisa. Quando moleques, aprontar era no máximo roubar uma ameixa da árvore do vizinho, hoje moleques são hackers que invadem contas bancárias, empresas, governos. E quando você vê a cara de banana do sujeito dá até dó. Em minha nem tão distante época levaria uma bela porrada no meio da cara e sairia chorando para casa dizendo: “manhê ele me bateu”. Mas hoje ele é preso se quando, faz um acordo e trabalha como consultor de segurança para alguma empresa ou governo. E continua sendo um banana. Plantações inteiras de homens bananas estão sendo geradas, mais vaidosos e depilados que qualquer mulher seria. Num mundo ideal, talvez fossem úteis. Mas num futuro próximo precisaremos de mais virilidade que algoritmos.

p.s.: a base da informática é o raciocínio lógico, algo que hoje não se ensina quando fala de informática. Tudo o que faço é simples porque têm aquela coisa da interface amigável, o difícil é trabalhar por detrás da interface amigável das coisas do mundo e das pessoas…

p.s.1: o nosso governo possui vários consultores em guerrilha urbana, X9’s e roubo a bancos em sua folha de pagamentos, recrutados a um custo altíssimo, mas muito úteis em épocas como esta…

Após Calipso now !

O controle sobre as populações do mundo vem sendo aplicado, ao longo do tempo, através do medo e da esperança. Os regimes tribais, de força, monarquistas e posteriormente os regimes ideológicos e teocráticos, deflagram suas teorias intimidatórias com o único intuito de conter e dominar. Desde antes as relações sociais vem sendo permeadas pelo poder das teorias. Paralelo a tudo isso o mistério do homem e suas origens e seu fim. Os grupos sempre tiveram os líderes que conduziam seus liderados, pois esses acreditavam que eles eram capazes e superiores. Após várias erratas dessa teoria o homem passou a creditar no sobrenatural como meio de proteção. Agora, alguém já imaginou o que seria do homem se Deus não existisse de fato? De que maneira nos organizaríamos? Ao longo da história humana a religião sempre se confrontou com a ciência e ambas requerem a si as glórias da verdade. Mas e se Deus realmente não existisse e não houvesse céu, inferno, outra vida, anjos…? A natureza humana sempre se curvou, por sua sentida fraqueza, a uma força superior desconhecida, energética, enérgica e de esperança. Somos irremediavelmente dependentes da esperança, de que tudo isso tenha sentido após esse apocalipse que é a vida. Se assim não for, nada faz sentido, nada vale a pena. A maior inquietude humana, que é saber para aonde vamos, massacra mentes de sábios e de ignorantes. A esperança de algo melhor justifica atrocidades, bombas, fome, guerras, morte. É preciso que haja Deus para que haja vida e morte, mas nada prova que Ele existe ou que sua ação seja direta em nossas insignificantes vidas. Crer que o universo tenha criador, provedor e harmonia é uma loucura humana. O universo é instável, destruidor, apocalíptico e regido por uma tênue regra de manutenção. Tudo é estável até que se desestabilize. O ser humano é nada perante isso. E a grandeza a Ele atribuída talvez seja fantasia, delírio celular.

p.s.: todas as nossas teorias são infames diante de uma verdade desconhecida. 

Vitor ou Vitória?

O padrão de beleza feminino ao longo do tempo variou significativamente em medidas. Bem lá atrás(sic), as gordinhas faziam a alegria da moçada com seu volume, calor e nem tão pura brancura. Hoje os meninos tem à sua disposição dois padrões bem distintos de beleza: osso e pele, das modelos que atraem homens com instinto canino; e as marombadas, com seus músculos saltados e voz grave, que gostam de cerveja e futebol (tudo isso implica em um novo padrão de consumo e comportamento), que agrada a candidatos ao prazer da passividade, aquela vontade íntima de ser Luiza ao invés de Luis…

As formas femininas que antes faziam os homens delirarem hoje são acessórios desprezíveis. Até os sonhos lesbos de duas mulheres maravilhosas se encontrando num momento de desejo feminino acabou, é só sacanagem juvenil. A liberdade social sexual está fazendo novos grupos, formados pelo interesse mais simples da mera companhia. Vemos grupos de homens e de mulheres e fortuitos encontros sexuais, ainda. E várias são as razões. No meu local de trabalho, conversando com uma funcionária que retira o lixo e faz a limpeza, perguntei porque a maioria de suas companheiras de função pareciam lésbicas. Ela me falou categoricamente: “olha, eu moro junto com uma amiga porque temos os mesmos gostos e interesses. Não preciso ficar levando porrada de homem bêbado e à noite ainda nos fazemos um carinho gostoso(sic)”.

Caminhamos para a extinção do gênero. Os moldes sociais formatam hoje novos meios estéticos, sexuais e de comportamento. No futuro seremos mutantes e quiçá seremos responsáveis por desenvolvermos nosso próprio caminho.

anjo-do-ceu

p.s.: a grande dúvida é se caminhamos para ser anjos com ou sem sexo…