No Paraíso dos Hipócritas

hipocrita

Quem não teve o desprazer de ouvir um estrangeiro falar mal do Brasil e dos brasileiros, e logo conter a vontade de dar-lhe uns bons sopapos? Pois é, mas já que estamos entre nós, podemos abrir essa discussão e falar de maneira explícita algumas situações que claramente nos incomodam, mas que fingimos não ser da nossa conta. Parecem traços culturais importados de nossos ancestrais, mas a verdade é que são defeitos do nosso próprio caráter tupiniquim.

Primeiro, que todos esses pilantras que estão na cadeia ou em vias de, por corrupção e outros vícios políticos, foram colocados lá no poder por nós, sem desculpa. Hoje, uma legítima parcela da sociedade está claramente revoltada com “eles”, mas desconheço quem tenha dito em 2003 que Lula era um farsante e um ladrão, embora a maioria soubesse disso. Pior, ainda hoje temos quem o queira livre, mesmo condenado por corrupção e lavagem de dinheiro. Uma legião de imbecis? Não, é o nosso caráter deformado que admira o pior. Quem quer um presidente da república condenado? Ninguém no mundo, só o brasileiro e seu péssimo caráter.

É comum ver a imprensa e os ditos guardiões dos direitos humanos, espernearem quando algum prefeito tira mendigos de seu “conforto a céu aberto” e os leva para refúgios públicos. Mas esses mesmos guardiões não estão nem aí se esses deserdados ficam ao relento sem as mínimas condições de sobrevivência. Ou seja, na verdade os heróis do humanismo querem que os mendigos se lasquem. Condoemo-nos com as cenas, não queremos que mexam com eles, mas não estamos nem aí com sua condição. Somos hipócritas? Já pensei que sim, mas na verdade creio mesmo que temos mesmo é um caráter defeituoso, do tipo que vale poucos tostões. Devemos ser os primeiros a cobrar das autoridades que essas pessoas façam parte da sociedade produtiva e consumidora. Mas ao contrário, optamos por ser vassalos do ridículo, panacas, se é que me entendem.

Não foi apenas uma vez que ouvi de comentaristas anônimos de futebol, a nata da nossa intelectualidade, aliar a análise do futebol do seu time com a política. Além das galhofas e desdéns característicos, não raro ouvia a frase maldita: “está certo, se eu estivesse lá faria o mesmo”. O que falar de um caráter assim? Alguém assim desconhece que o que é público é de todos e tem de ser preservado. Mas ao contrário, é tratado como algo a ser destruído, por isso é comum ver entulho e lixo nas ruas, fios de iluminação pública roubados, prédios pichados, áreas verdes como terreiros.

Máscaras-648x430

Quem somos nós afinal? Um povo que não conhece e não cultiva a sua história. Ao contrário, cultua bandidos atuais e históricos. Um povo que ri de seus valores, de si próprio e de suas feridas sociais. Afeito a ouvir mentiras e crer nelas, porque é mais fácil acreditar que o “governo” que deve prover a vida da sua família e dos agregados, desde uma casa até o dinheirinho pra cerveja. Tivemos o desplante de criar uma Constituição inteiramente sem qualquer plausibilidade, sem financiamento prático, uma obra de ficção, apenas para dizer que “todos somos iguais perante a lei”. O cacete que somos.

E o caráter brasileiro é torto em todas as classes e esferas. O brasileiro não se importa com o Brasil. Poucos são os que defendem um nacionalismo puro, equilibrado. Se não, são extremistas de esquerda ou direita. Não há consenso nacional nem político sobre o presente, que dirá sobre o futuro. Elegemos gente da pior espécie que há entre nós, em troca de dentaduras, cestas básicas ou dinheiro. Por isso os problemas se avolumam exponencialmente e o caos nos atormenta em várias frentes. Saúde, segurança, emprego, tudo o que nos importa de verdade. E vemos aqueles que nos fazem de otários todos os dias falarem alegremente que tem a solução do que eles mesmos problematizaram. E votamos neles todas as vezes que nos pedirem votos, afinal somos um país de corruptos, de caráter torto.

Quer mais provas do nosso caráter defeituoso? Veja os últimos passos da Justiça, do Legislativo e do Executivo federais, é quase um circo de horrores. Não sabemos planejar, organizar, respeitar. Fazemos leis medíocres para safar os safados, e não cumprimos as que podem nos livrar deles, ou de nós mesmos. A hipocrisia no Brasil beira o absoluto ridículo quando vemos a imprensa livre, como UOL, Folha de S.Paulo e SBT, quererem entrevistar um condenado na cadeia e transformá-lo em presidente da república. Nenhum outro povo assim o faria, só nós, os deformados. Outro caso de explícita hipocrisia brasileira é o tal indulto que damos aos condenados em datas festivas. Veremos a tal moça que matou a mãe passar o dia das mães fora da cadeia. E a madrasta que matou a filha, idem.

Afinal, quem somos nós? Quanta mediocridade foi embutida em nós? Quando iremos aprender que antes de nossos direitos, temos deveres? Bem, mas isso irá nos custar mais do que uma sessão de análise psicológica nacional. Quando iremos nos defrontar com a tortuosidade de nosso próprio caráter e subvertê-lo à uma identidade nacional de verdade, séria e progressiva? Quando o brasileiro irá realmente tornar-se um cidadão com qualidades humanas de verdade? Quando iremos para de rir de nossa peculiar malemolência e do pouco valor que damos a uma vida decente e produtiva? Quando iremos mudar nosso status de país para Nação? E ao olhar o espectro de candidatos à presidência da república, dá pra notar que estamos ferrados de verde e amarelo. E tenha a certeza, iremos escolher o pior, quer apostar?

 

Anúncios

Paz, Pão e Terra…Brasilis

“Uma coisa é certa, meus patrícios: ou mudamos com urgência esse sistema de governo em que vimos insistindo há séculos, e que não nos dá liberdade, não nos traz igualdade, não nos promove como cidadãos, ou alguns farão a revolução”. 

                                                                                                              Carlos Baltazar

E o Brasil continua plantando tempestade. Os otimistas, junto com os pilantras, falam de melhoras em sorrisos sem cor, mas é ver a semana em Brasília para saber que nada disso é verdadeiro. O governo Temer é um preposto do governo petista, ou alguém duvida disso? O mesmo governo que desestruturou a política, a economia e a sociedade. Só que agora numa versão continuadamente piorada. Num país decente, o simples fato de ter contra si uma acusação de corrupção, de obstrução de justiça e organização criminosa, já renderia uma vergonha vitalícia e uma renúncia estratégica do poder. Mas aqui a vigarice é tanta que os valores morais e éticos são enxovalhados diuturnamente sem que algum desses que possuem o diploma de eleito, ou não o tenha, avoque a decência de pedir para sair.

Dois fatos simbólicos mostram o governo e a semana. A tal Luislinda mostra que ministro também é escravo de seus míseros vencimentos de 32 mil, e que quando desembargadora (imagine se uma decisão que lhe diz respeito caísse nas mãos dessa senhora?) a coisa era bem melhor. Calaram-se ela e o PSDB, o partido dos bons moços, ávidos por uns bons tostões e bons regalos de primeira, claro. Não é à toa que discursos sérios, relativos aos direitos humanos e a escravidão, sempre mal vistos e bem mal explicados, são tidos, muitas vezes, como despropositais. Pessoas assim fazem do debate algo pequeno e sem caminho.

E a mais factível das afirmações, feita pelo ministro da Justiça (cabra macho, heim?) que entregou um segredo de polichinelo: a PM do Rio tem acordo com o crime organizado nos morros e com deputados estaduais. Bom dia, comunidade! Alguém não sabia disso? A PM do Rio é a corporação policial mais corrupta do Brasil. Os traficantes dos morros são meros empregados dos patrões que desfilam na política local e nos coronelatos militares daquelas bandas. Nem componentes da velha guarda das escolas de samba acreditam que o Rio tenha solução, e que essa venha dos políticos ou da PM. Que o Christo Redemptor nos proteja.

Por fim, mais uma pataquada temerária, a redação do ENEM. Nenhum desses secundaristas metidos a Drummond poderia sequer tocar num assunto que cheirasse a desrespeito aos direitos humanos, senão nota ZERO. Alguns desses meros ocupantes da gestão nacional estão brincando de semideuses. Não, não são arroubos de censura como alguns pensam, mas pequenos poderes que, pequenos idiotas que estão lá de plantão, querem nos impor. Não há que se temer a volta de tenebrosos tempos, mas que nós deveríamos ter sido mais corajosos antes escolher manter um vice desses como presidente, sem dúvida.

O Brasil não pode temer a democracia. Quem se borra medo dela são os políticos. Não nos enganemos, não há democratas em Brasília, mas gente que quer manter-se no poder a qualquer custo, mesmo se o caminho for duvidoso em direito e liberdade. A escolha por esse governo foi feita dessa forma, tivemos medo do vazio que o poder pudesse sofrer. Mas, não há vazio de poder numa democracia.

Uma coisa é certa, meus patrícios: ou mudamos com urgência esse sistema de governo em que vimos insistindo há séculos, e que não nos dá liberdade, não nos traz igualdade, não nos promove como cidadãos, ou alguns farão a revolução. Ou nós brasileiros assumimos com coragem o poder de decidir nossos próprios caminhos ou ficaremos sempre à mercê desses fantoches da política que nos perseguem há anos. Ou vamos para as ruas exigir decência, transparência e caráter, ou é melhor deixar baixar a canga e aceitar o jugo da escravidão moldada por eles, para nós, em pleno século XXI.

Perdoem a nossa falha

Sinceramente eu não queria entrar demais no mérito do caso Ana Lúcia Assad, advogada de Lindemberg Alves Fernandes. Primeiro porque acho que bandido tem que mofar na cadeia já que preferiu não conviver com pessoas decentes. Segundo porque em questões judiciais eu prefiro apenas dizer que não acredito e não aguento, simplesmente porque essa casta privilegiada não acredita em nós, a sociedade. A Justiça acredita nela e somente nela, e para ela trabalha. A atitude dessa senhora advogada foi correta (desculpem meritíssimos). Falou na cara da juíza que ela não sabia muito do que estava julgando. É inadmissível um juiz ter esse tipo de preparo. Aliás um amigo meu, desembargador por acaso, me confidenciou que essa leva de juízes novos está levando um banho de conhecimento dos advogados mais velhos que estão fazendo deles “gato e sapato”. É isso aí. Acharam que era só fazer concurso e pronto, sou juíz, posso mandar prender e soltar quem eu quiser. Não é assim. A sociedade não é assim e não aceita esse tipo de conduta. Claro que a atitude da advogada feriu os brios da magistratura. Onde já se viu uma advogada de porta de cadeia insultar o conhecimento de uma juíza em sua própria corte? Por isso querem ferrar a advogada alegando “prática de crime contra a honra”. Só se for a honra de nós cidadãos, por ter uma juíza com essas deficiências julgando pessoas. Tudo bem que ela é uma gatinha e a advogada uma tribufa, foda-se. A Justiça precisa de pessoas e não de castas. Nós precisamos de uma Justiça que permeie nossa vida com isenção, baseada nos rumos que nós a sociedade determinamos. Senão tomamos na tarraqueta dos políticos do governo e do congresso e dos juízes também, tudo isso ao mesmo tempo. Haja tarraqueta queridos leitores, leitoras e LGBT’s. Meu apoio à advogada, que mesmo sendo feia pacas, desnudou a doutrina pomposa da Justiça numa simples frase: “a senhora deveria voltar a estudar”. E por isso também vai ganhar o direito à galeria da fama aqui em baixo. Claro que com a juíza Milena Dias ao lado, senão não há quem aguente…

p.s.: enquanto não tivermos uma Justiça decente neste país, nenhum de nós estará seguro…

Cabral, esse descobridor de…Paris !!!

Esse tal de Sérgio Cabral, governador do quase extinto estado do Rio de Janeiro, faz história na picaretagem nacional. Suas relações íntimas com águas turvas e cachoeiras são de dar nojo e vergonha, afinal pobre quando come melado se lambuza de tal forma que a cara fica feia, suja, ridícula. Tropa de Elite 2 é a cara desse filho de crítico que pouca crítica possui de si mesmo.

Dilma assaltante de bancos

É bom ver a esquerda sofrer com essa relação íntima com os donos do capital. Lulla inaugurou uma fase de relações espúrias com os bancos que tem significado uma explosão na dívida interna pública. Se não houver um freio nessa relação de ganha-ganha para os bancos estaremos inviabilizando nosso desenvolvimento. Banqueiro não presta, nenhum deles. Segundo Fidel todos deveriam ir para o paredão. Concordo que todos deveriam pagar pelos seus lucros escorchantes, vergonhosos. Banqueiro deveria andar com roupa amarela para não ser confundido com banana nanica. Conheci um que sequer usava meias para não gastar no vestuário. Era sujo, feio, ridículo. Seu banco vem lucrando há anos nas mazelas do país. Dilma acerta no alvo, mesmo tentando desviar atenções. E essa relação da esquerda com bancos é tanta que até um expoente do PT largou sua vanderléia e se casou com uma banqueira…vejam vocês…

Mea Culpa

Às vezes vivemos situações inexplicáveis, daquelas que nem Deus ou o diabo podem entender. De longe vi pessoas fazendo merda à torta e a direita. Fizeram tanto que depois de algum tempo veem-se enroscadas com a Justiça. Até aí tudo bem. Mas o que eu, que nem de longe vi os fatos acontecerem tenho com isso? Tudo. Pelo menos é essa a opinião de alguns desavisados. E como livrar-me disso, pergunto? Simples. Mando todos à merda indistintamente e viro a página que me encontro. É fácil errar e colocar a culpa nos outros ou no destino. E esse acho que é o meu destino. Mas novos rumos assomam…

p.s.: um fim de semana prolongado com frio e chuva em São Paulo, faz com que a gente reflita sobre pipoca e filmes…

Justiça…ai se eu te pego…

Brasileiras e Brasileiros…credo que lembrança fúnebre. Vejam como a Justiça neste país é célera quando lhe apetece ser. Um juíz, lá da comarca de João Pessoa concedeu liminar para um bando de meninas que disseram que são as donas da música “ai seu eu te pego”. Quero protestar veementemente. Na verdade a minha mãe é que foi a criadora da música. Eu lembro bem quando eu era pequeno e fazia algo errado ela logo me dizia: “ai se eu te pego…”. Assim como as viúvas da ditadura que procuram se dar bem com sua história de idealismo e patriotismo, eu também quero um naco, e um naco bem gordo, da bufunfa do Teló. Grana, passa prá cá…ai, ai, se eu te pego…!!!

p.s.: prova incontesti…foto minha correndo enquanto minha mãe cantava “ai, ai, se eu te pego…”

São Paulo investimentos

Segundo dados fornecidos gentilmente pelo uol, São Paulo é quarta cidade no mundo a receber investimentos estrangeiros. Senão vejamos. Esta semana eu disse que São Paulo deixou de implementar alguns projetos de valor fundamental para uma cidade melhor e de futuro. O Kassab/Serra deixou de implantar uma encubadora de negócios com apoio de todas as universidades da cidade e que traria uma contrapartida fantástica para o município em termos de inovação, idéias e produtos. Pergunto. De que adianta termos essa entrada fabulosa de recursos se não temos pessoas de caráter e que sejam paulistanos de verdade para gerir esta cidade? Não vote em promessas, nem em enganos. Chega de turistas e bandoleiros.

p.s.: a melhor forma de acertar é errando…

Argentina, o fundo do poço…

E a Argentina caminha para o fundo do poço. Seus últimos presidentes estão fazendo com que um país próspero e civilizado(mais do que nós) torne-se uma terra de pelegos populistas sem destino ou legalidade. Cristina, apesar de toda a sua formosura, é o resto do que sempre a Argentina colhe à espera de um salvador como o fantasma de Perón. A censura à liberdade de imprensa chegou a níveis que beiram ao total controle do Estado. Ninguém de boa fé e caráter quer exterminar seus opositores, porque sabem que esses lhe dão razão de existência. A não ser Lulla que queria exterminar o DEM, mas esse é parte de uma outra biografia, que a história irá desnudar(credo, que nojo) nos seus golpes de corrupção e de lesa-pátria. Cristina abusa da tolerância do povo que rende-se às suas loucuras político-feministas-populistas. A Argentina está no caminho da Venezuela, outra terra sem lei, sem orgenação jurídica honesta. Ocorre que temos muitos interesses na terra dos hermanos, já que compramos quase tudo por lá. É uma pena mas, don’t cry for me Argentina…

p.s.: bem, no mínimo podemos ter a certeza de que Buenos Aires continuará a ter preços bem acessíveis para nosotros…

Fórmula 1

Para quem é fã de automobilismo, a F1 estará roncando seus motores lá na Austrália, dia 18 deste mês. No que diz respeito aos brazucas esqueçam, depois de Ayrton Senna nunca mais teremos emoções patrióticas da mesma forma. Ayrton era único. Os outros…bem os outros são os outros e só. Pelo menos o Rubinho foi lá para a Indy, vai deixar de causar tantos traumas na gente. Felipe Massa é pura decadência, não esperem mais nada dele. E o sobrinho Senna é o sobrinho Senna. Só. Claro que quem gosta do cheiro de combustível, mesmo pela TV, vai adorar Vettel, Alonso, Webber, Hamilton, Dick Vigarista, Kimi e os outros coadjuvantes. Os carros estão cada vez mais feios, tipo a cara do Bernie e a chatisse do Galvão. De qualquer forma, velocidade é velocidade e carreras são carreras.

Justiça

Para quem acha que estou pegando muito no pé da Justiça braisleira. Alguns exemplos e links para vocês curtirem e sentirem vergonha desses togados corruptos e sem caráter. Primeiro, e sempre ele, Ricardo Teixeira, presidente da CBF e o Tribunal Regional Federal do Rio que só arquiva processos dele. Em tempo esse tribunalzinho está passando por uma correição por conta disso. Mais uma do STF, que inocentou por uso indevido de dinheiro público o deputado federal Sérgio Moraes (PTB-RS). Aquele que diz que “se lixa” para a opinião pública. Ponto para o Senhor FUX, relator da inocência alheia. Quer mais do STF. Então toma. STF livrou por unanimidade e arquivou inquérito contra o ex-deputado Edmar Moreira, aquele do castelo, por apropriação indébita de contribuições previdenciárias. Sabe por que? Por que ele tá com 70 anos. Não é lindo o STF, tão preocupado com a velhiçe alheia e deixando de lado a sua podridão jurídica? Ainda não está satisfeito? Então toma mais uma.  O STF, ele de novo, julgará a legalidade ou não de um colegiado de juízes que foi formado em Alagoas(terra de Color), para julgar crimes de facções criminosas e assim poderem ficar mais seguros ao dar sentenças condenatórias. Sabe quem está questionando? Ela, a OAB, que congrega uma grande facção de defensores de criminosos e suas trupe. Caros leitores, nossa Nação está nas mãos de uma elite jurídica da pior espécie, formada de famílias abastadas que se perpetuam no serviço público do país se locupletando dele há dezenas de anos. Esses vem carcomendo a esperança de um povo como se deles fosse a razão absoluta da jurisprudência nacional. Por que será que todo ditador ou comunista quando assume o poder, a primeira coisa que faz é cortar as asas desses meliantes de toga? Nâo é o nosso caso, mesmo porque o PT articulou-se muito bem com essa turma, já que comungam os mesmos interesses de poder e controle. Mas cabe a cada um de nós questionar as decisões dessa Justiça podre que nos julga com olhos de predador.

p.s.: sexta-feira é dia cerveja, bolinho de bacalhau, relaxar…bom fim-de-semana !!!

STF, data venia, um inimigo do Brasil

É muito ariscado afirmar tão categoricamente isso, mas a Justiça no Brasil é a grande fonte de todos os problemas que enfrentamos. Pois tudo passa pelo crivo do Judiciário. São as leis, os formatos, a legalidade de ações e éticas que vivemos todos os dias. E como imaginar um país sendo tutelado por um poder carcomido pela corrupção, pelo corporativismo, por uma confraria de pequenos homens? Acho que vivemos um momento em que é preciso questionar o papel de todos na formação da Nação Brasil. O Judiciário está patinando em seu próprio lodaçal. Ver o órgão máximo da magistratura, que deveria ter uma conduta irrepreensível, entregue a um acordo espúrio, covarde e criminoso para absolver os réus do mensalão, porque esses são da cúpula do partido do governo federal, é uma das páginas mais vergonhosas de nossa história jurídica. Esse grupo de pessoas que se auto-intitulam um partido político, chamado PT, estão dobrando corações e mentes pela corrupção e pela oportunidade de poder. A Justiça brasileira está podre de alto a baixo. O CNJ sabe disso, por isso tenta salvar o que pode desse lodo, mas tem enfrentado uma verdadeira guerra interna, o crime organizado, o corporativismo e os feudos jurídicos enraizados desde o tempo do Brasil Colônia. A corrupção nos pegou e agora será muito, muito difícil se ver livre de suas garras malditas. Só mesmo um patriotismo puro para nos lavar desse lamaçal infecto e visceroso.

p.s.: você conhece alguém que tenha saído satisfeito depois de uma aventura jurídica seja por que motivo fosse?